23 de ago de 2010

o dia urge

a tarde urde
o corpo arde

o dia dosa
a tarde dana
o corpo dói

o dia finda
a tarde míngua
o corpo morre

(e a noite
não encena
ainda)