26 de set de 2012

vampira




 Mais iluminado que teu fantasma, é me trair; te ensanguentar em mim.
 Assim renasço.
Quero  doces cobaias para a minha luz.


Neusa Doretto

13 de set de 2012



Reinvento palavras
bordo letras em carmim
sopro verbos quentes
tudo em vão...


a poesia não mora em ti
sequer a visita...

10 de set de 2012

arte íntima

via Google imagens


este poema
desenha a boca
que ordenha
sua seiva viva

esboça a língua
que delineia - à risca -
os contornos
da escrita arisca

pinta o entremeio
das nuas entrelinhas
com - morna lisa -
textura de saliva

7 de set de 2012

INDEPENDÊNCIA E MORTE

                                                             Túmulo de D. Pedro I

Autocrítica autolimpante,
Autoajuda self-service,
Autarquia, xampu tonalizante,
Folhas perenes, partenogênese:
A independência é restrita
A estados, processos e sistemas,
A morte independe.


6 de set de 2012

TAUTOGRAMA




Afago
anis
adocicado
amoras
amigas
amanhã
amantes...

5 de set de 2012

Sentimentos

Outro dia
Abriu a janela:

A novidade
era uma água quente
lavando por dentro
o centro
da alma
da  mulher salva
da rotina

NDoretto

4 de set de 2012



Podem atacar-me os sãos.
Mas é na loucura que germina a vida, 
essa doce urtiga.