25 de abr de 2013

 OCOS




Tenho muitos ocos
dentro de mim
alguns abismos
e porteiras fechadas


atrás de meus olhos
há uma vertente
que, vez ou outra inunda
minhas noites gélidas e estéreis


então lanço vôo
borboleta de asas cansadas
silencio
azul profundo...





24 de abr de 2013

prefácio


















Amor:
se der
ceder
me
dando
Na
histeria da lua cheia
Meia e nova
quente
na sua alcova

Neusa Doretto


17 de abr de 2013

O céu e eu


O céu e eu

O céu aberto esquece a noite nublada e fala das estrelas.
O Outono se pendura nelas como pano seco, balançando na vida.

E me parece que resolvi tudo
Que nada mais há para fazer
senão
ser
docemente ser
felizmente
ser 



Neusa Doretto

10 de abr de 2013

Junte-se a isso


































Preciso
Dos vernissages
Das passagens para um sétimo céu
ou sétima arte
Que não se parte
Preciso da tez
De uma única vez
Do Frisson 
Do Desembrulho
Da Surpresa Da leveza
Histeria da lua cheia
Meia e nova
Preciso da alcova
da Paixão Elegante
Prioritária
Sedentária em mim.



5 de abr de 2013

À BRASILEIRA


LOTADO
dizia a placa.
Desejei não saber ler
e invadir o espaço vago
que via além da barreira.
Mas, li, entendi e dei a volta,
como boa cidadã brasileira.


Primeira estrofe de À BRASILEIRA de Chris Ritchie,
poema em 5 estrofes publicadas semanalmente.

4 de abr de 2013

CONFISSÃO
















À noite
minha saudade é mais aguda
fere à unha
dentada profunda


meus olhos viram musgo
mofados de lembranças
úmidos escorrem
pela madrugada
frios
como uma lápide.

3 de abr de 2013

Ventura
























Passa o tempo
Passa a dor
Passa a vida dentro do passo.

Paro. Olho. Crio laços.
Penso em ti:

Tens o olhar que acolhe
o meu beijo num gole
O gesto, a palavra
tudo que lava
meu coração



(imagem de Xenia Antunes)

1 de abr de 2013

ora pílulas



se o poeta
finge dor
o poema
forja
uma fuga
da morfina

metáfora rima
& heterônimas
aspirinas

o poeta
- pessoa -
tanto mente
quanto sente


valéria tarelho


*imagem de Bruno Rodrigues