29 de jun de 2012

DE MÃOS DADAS COM O MAL

(Sobre a leitura do jornal de hoje)
Rouba, mas faz.
Estupra, mas não mata.
Infringe, que a Justiça
É para de maior e laranja.
Evangélico que julga,
Professor que não ensina.
“Aprova os ficha-suja”,
Em off o PT disse.
Código Penal com complacência
Para bandido bom moço,
Que não é mais o que está morto,
Mas o que faz amor na cela.
Há quem diga que a decência
Se foi com a ditadura.
Sim, errar é humano,
Mas não morder canela.
E a esperança é a última que morre
Quando a morte é prematura.
É por essas e outras pérola
Que permanecer é burrice.

28 de jun de 2012



 
CAIS



Caí do mastro
rompi em breu
do mar só o marulho
distante


a onda ferindo as pedras
lavando memórias e tempo
o vento sussurrando desacertos


um assovio atravessou
a palavra
revelou o meu sonho
eterno...










22 de jun de 2012

RECEITAS DE BELEZA

Cleópatra em banho de leite de cabra –
Da pele para a alma, a calma
E um incerto clarear.

Eu me deleito com café quente,
Pelas entranhas brilho negra,
Pulso feito quasar

e mato a sede com cada palavra.


20 de jun de 2012

Marota


Macia me abocanha em "toquecardia"
e
assanha o corpo à revelia.

Depois, ressona. 
Sou
dona.
Maga
dessa fantasia

18 de jun de 2012

frag-mentos


fundo a cuca nesta vida

               maluca

só pra te dizer que não

sidnei olivio

15 de jun de 2012

SABEDORIA


Ninguém é magra de ruindade
para sempre, dizia minha sogra.
Para poucas aparece a bondade
E na maioria é o peso que dobra.

13 de jun de 2012

Oportunidade





Construo casas de felicidade imóvel
pagamento   à vista de mil encantos reais
Tratar ao lado
da pessoa amada
Ou na morada

12 de jun de 2012

CARRO NOVO

(para todos aqueles que acreditam incondicionalmente no amor)

E muito de ti ainda em mim
partes cravadas além-alma.
Houvera a falsa alegria e o dilacerado
a espera vã da formalidade sem graça.
Peito revelado por palavras ausentes
ainda ontem bastantes quando meu e teu,
nossos corpos, sobreviviam a tudo.
Partiram os bom dia e o resto dos dias.
Sinto-me só nesse tablado
enquanto dilacera o coração
a distância de teus passos.
Já começa a doer.
Para correres de mim
Compraste um carro novo.


(marielamei)

8 de jun de 2012

CICATRIZ


De tristezas bem enterradas,
A beleza floresce graciosamente
Escrevendo na terra um lembrete:
“Deixa de lanche às escrevedeiras  
Toda e qualquer má semente”.

(Tradução de Scar de Chris Ritchie)

6 de jun de 2012

espólio



O amor 


Ainda  há meses 
doendo às vezes 
Sobre panos onde se come 
Lençóis onde se dorme 
As travessas brancas 
As peças tantas 
Lãs e mantas 


Fotografias 
Desses dias. 

5 de jun de 2012


(...) Partirei tão logo o dia se revele
Com sabor de regozijo,
Alma transbordante de estalidos.
Coração agora tranquilo - 
Que sem demora há de regressar.

Sei que a partida será doce
E não mais que o torrão mascavo
Que guardei em seus lábios.
Porque ainda bailamos alegres
Sobre as bolas de gude em nossos lençóis.


in "Sambinha", do livro Bolas de Gude

Troiana


Tem sempre um porém,
algum preço,
algo que entrave,
qualquer sacrifício escondido na manga,
ou por baixo dos panos,
cheiro quase imperceptível de podre
em todo presente
do meu espartano.

4 de jun de 2012

as últimas do Lácio


cultivo estas flores
- olavo -
incautas e bélicas

e algumas mudas
me fuzilam
do alto de seus galhos
- pátrios -
enquanto fal[h]o
- forasteira -
com os botões





1 de jun de 2012

RELATIVIDADE


Dê-me mais tempo e vou passá-lo com você.
Roube-o de mim e vou guardá-lo para você.
Voltando no tempo, vou ficar longe de você.
Adiante-o e lá estou eu machucada por você.

Mas, se viajar no tempo é ainda só tema de seriado,
Então, tome todo o meu em seu relógio adiantado.

(Tradução de Relativity de Chris Ritchie)