31 de jan de 2013







Opção



Prefiro ponto e vírgula
a duas belas pernas

e palavras vazias



Três pontos beijando o infinito
ao teu abraço gélido em aposto



Prefiro o bocejo exclamado
ao teu Silêncio em maiúsculo.

30 de jan de 2013

Viagem




Bota calcinha,sutian
Um relógio para amanhã
Uma blusa,um jeans
A lavanda de jasmim

Estou louvando o amor prático
Menos dramático
E menos pra sempre:
Ah,pega a escova de dente

E vem.


Neusa Doretto 


25 de jan de 2013

TIC-TIC


O tempo voa

e nós com ele.

Precisamos de relógio

para nos prender ao chão

e rastejar.
 
 
Tradução de Of Time and Lice de Chris Ritchie

24 de jan de 2013





Me visto de gana
dispo desejos e delírios
sou cama


visto o verso
me reviro

viro presa


sou pressa...

23 de jan de 2013

Livre




Pronto, passou. A dor passou. A ansiedade passou. O medo passou.
O amor passou.
Abra os olhos, agora.
Sorria, aliviada.

Você não tem  esperança de mais nada.
Que coisa boa.
A vida é dura e linda como um diamante.

Neusa Doretto

18 de jan de 2013

PROTESTO


A Liberdade Guiando o Povo, quadro de Eugéne Delacroix

 
 
No vão da Paulista,
ela ergue os braços
com dizeres baços
entre os seios expostos:
 
"Se votar é um direito
e roubar o seu efeito,
fogo contra Brasília!
Que arda nossa Bastilha!"
 
 
 
 

17 de jan de 2013


                                               POR UM FIO


Meu poema está por um fio
cambaleante
velho como o mundo
com a alma perdida
procurando pai e mãe
rosas e pitangas
mar e amores
um motivo
estilete
meu passado
teu presente

meu poema está por um fio
escorregando pela folha branca
viscoso e triste
como larva em agonia

16 de jan de 2013

janeiros


Há em mim uma pressa, em dizer o instante da vida, o segundo que me traduz. Então, alvoraçada, crio palavras pequenas como pedras onde embrulho a  poesia e jogo  longe. Assim ,  quem pegar, desembrulha e me conhece .Ou me toca.Tira do caminho e  leva consigo.

Há em mim a pressa  de ser intensamente a vida, por onde venho à tona, mar de espontaneidade e repetição. Porque repito os sentimentos mesmo que sejam diferentes ( e o são) 

Repito a vida todos os dias nas batidas do  coração e no andar para frente. Não há originalidade em ser gente. 

Amo e sou amada porque todos amam igualmente, mesmo quando não mais sentem. 

Amo o espaço que há para ser amado em mim e cada sonho plantado alí; flor que nasce para ser apanhada pelas mãos desconhecidas. Porque as mãos do amor são desconhecidas.


Há em mim  o movimento brusco, a mudança repentina de ideia e a 


alma perguntando o porquê de todas as coisas. 



Se tão iguais ,por que ainda quero mais ?





10 de jan de 2013












O espaço devora azuis
lembranças e afetos


lá embaixo
mãos se despedem
palidamente...







9 de jan de 2013

4 de jan de 2013

SÉC. XXI, ANO XIII, LIÇÃO I


Dualidade e incerteza:

a base da Física Quântica

se aplica à natureza

instável das partículas,

às ondas dos cânticos,

à dureza das cutículas,

e o imensurável assombro

de Einstein é que elas têm

vontade de evitar enfados

e à ciência dar de ombros

enquanto Deus joga dados.


























ECLIPSE

A lua veste negro
brinca de mudar a cor
de repente fica viúva
e desaparece

mas na noite seguinte
retorna
branquinha
pálida de vergonha...

2 de jan de 2013

Malandragem





















Custou-me os olhos da cara
a doce tara
tirando a visão

Custou-me tanto
o golpe barato
intenso
insensato
desta ilusão

Sem sono
Sem assunto

Eu fui junto
na sua multidão


Neusa Doretto