24 de jun de 2010


Meu silêncio

é de peixes azuis

bocejo luz ao cair do dia

e adormeço pescando luas...

17 de jun de 2010

TumTum - TumTum Tam Tum-Tum.



Meu coração,
cheio de bossa e ritmo,
tu eletro-feres.

agora descompasso
em extra-sístoles...

9 de jun de 2010

Parceiros do Curta-Metragem.

Em respeito ao poema do parceiro de blog, peço que as publicações sejam feitas no intervalo de 7 dias; uma semana entre um e outro, possibilitando o tempo mínimo de leitura  para cada poema, garantindo desta forma a satisfação em ser lido e comentado.
beijinhos,
Neusa Doretto

o poema direito




















Vou fazer  o  poema direito

O poema direito
vai conter a mulher que deseja o meu desejo
e terá os meus pés no  seu andar 
de forma que nada desencontre
separe ou desaponte
O poema direito sorrirá com todos os dentes
e pagará para que eu escreva sempre
O poema direito só cantará o amor coincidência
Não a indecência do coração torto
caído
e morto

Vou fazer  o poema direito.


Neusa Doretto

4 de jun de 2010

umbigo

[valéria tarelho]



umbigo:
entremeio obscuro
furo
entre fenda e seios
senda
da sua libido
vereda
em que passeiam
língua e dedos
orifício
que permeia
o desejo
poço
a um passo
de meu sexo


* publicado no Livro da Tribo 2005 pgs. 170/171
ilustração de José Carlos Martinêz, especialmente para a agenda.

3 de jun de 2010

Sentimento
















Estou mais ágil  Menos frágil  Olhar dianteiro  De mochila   Leve de   amores
levo aromas  odores e tudo que meus dedos já tocaram
E transformaram em coração.


Que este não pesa


Neusa Doretto