26 de fev de 2011


Silenciosa e áspera
como uma rocha
a vida pode ouvir
o lamento do vento
ou o cantarolar da brisa...

6 comentários:

Zélia disse...

Pode mesmo! Nós é que não paramos para prestar atenção nisso e em tantas outras coisas...

;)

NDORETTO disse...

___________________________________
Para isso basta adentrar-se....___________

Poste mais um...está na sua vez mesmo; gosto tanto da sua poesia,sister...

Neusa

Mara faturi disse...

GRACIAS SISTER;))

AH!! NÃO VOU POSTAR MAIS UM QUERI; VAMOS "DE GRÃO EM GRÃO", rsrs
*Ele é baby curta-metragem;-)
Bjo grande;)

Kiro Menezes disse...

Nossa... Dia de aspereza de rocha, invencibilidade de rocha, inigualavel beleza de rocha!!!

^_^•


Adorei

Marcia Carneiro disse...

Fugi de mim mesma e vim até aqui. Ah como essa vida me beija de formas diferentes... Tua poesia é linda e doce demais feito o que tu és. E esse poemito... de pequeno não tem é nada ! Saudade !

Flá Perez (BláBlá) disse...

é verdade!