4 de jul de 2013

Abraço





Eu levo um tombo na rua ou um carro quase me pega. Quase eu me arrebento ou vou dessa pra outra. O susto endurece meu rosto, engrossa minha circulação. Eu  não sinto os pés de tanto nervoso. Quero chegar em casa, tirar a roupa, e perguntar pra alguém se me machuquei muito. Fico angustiada porque queria chorar para passar o medo, chorar abraçada . É nessa hora que eu preciso de um amor, pra abrir a porta de casa e  falar: olha ,quase morri, me abraça.

_Neusa Doretto

Um comentário:

Margarida Rodrigues disse...

Aprecio bastante o seu blog e os seus posts. Sempre que posso tenho visitado o mesmo e delicio-me com o que escreve. Até coloquei na barra de favoritos :)

Espero que continue com o bom trabalho.

Cumprimentos

Margarida Fonseca Dias

www.brandleaderemaildatabases.com