23 de mar de 2014

" inscrição "



A paixão não doeu
Essa foi pena
pousando baixo numa poça

Eu
que era lago

Tudo 
que era vela.

Neusa Doretto

3 comentários:

Gabriel disse...

Adorei a simplicidade das palavras, deste pequeno e belo poema.

Mas o que mais me chamou a atenção, foi voltar aqui 3 anos depois e ver que ainda continuam postando.

Voltarei mais vezes.

Mara faturi disse...

ôoooooo, E NÃO É?? MAS ..INFELIZMENTE NÃO LEEM MASI OS NOSSOS BLOGUES!! O Face devorou nossos velhos blogues;((
Vim aqui matar as saudades e deixar meus suspiros sister!! lindo poema!! meu bjo e admiração...sempre;))

PAULO TAMBURRO. disse...

NEUSA DORETTO,

sou seu mais novo seguidor e traga-lhe minha chave, símbolo do meu perfil na esperança que ela ser-lhe útil, quem sabe em alguma situação onde a porta emperrar!

Uma paixão que não dói só viceja mesmo na fantasia poética e inteligência abstrata das mentes privilegiadas como a sua.

Paixão é arrogante, fere de morte,escalpela,raspa o fundo do prato das nossas refeições alegres do dia-a-dia.

Paixão é coisa que sempre que posso enxoto, empurro ladeira abaixo, incinero ao som de cantos gregorianos fortes e melodiosos.

Essa tal de paixão por uma vez jogou-me na terra seca e árida das caatingas insalubre dos meus sentimentos.

Hoje a respeito tanto que, nem sei a razão dela ter se aproximado antes de mim.

Talvez saiba sim, ela só queria que eu a respeitasse.

Se puder visitar os meus blogues me faria feliz, pois gosto de poetas no meu entorno.

Um abração carioca.