11 de fev de 2010

memórias da infância









minha infância durou
até aos 17 anos
depois tive que me alistar:

ganhei um número
e perdi a identidade...

sidnei olivio

7 comentários:

Mai disse...

Cruel!
que bom que voltou.
abraço

Lídia Borges disse...

Injustiça!

Um número é quem?

L.B.

Marcia Carneiro disse...

Ah.........essa matemática...Tua poesia é que diz quem tu és... Há braço !

Mara faturi disse...

Querido poeta,
adorei;)
grande bjo!!!

NDORETTO disse...

( felizes são os números que se somam uns aos outros,não é meu amigo? )

Renata de Aragão Lopes disse...

Momentaneamente! : )

Myrela disse...

Excelente!
Mas parece que já recuperou tua identidade...