14 de abr de 2010


URBANA




O silêncio estanca


minhas horas


de noite vem a lua


e veste céu


e nuvens



- estrelas descansam nas poças das ruas...

6 comentários:

Marcia Carneiro disse...

Poema lindo demais Mara! Os anjos e suas estações...cheguei a sentir a chuva no descanso das estrelas. Tua poesia também veste...

Lucão disse...

Ahhh. o reflexo no chão é charmoso...
A lua, vestida ou não, numa noite bem calma são dois charmes
:)

Fouad Talal disse...

E se você pisa nas poças, não há supernovas e buracos negros que dêem conta de tanta turbulência...

A Moni. disse...

"Olhai pro céu, olhai pro chão".

Lindo, afilhadinha minha!

Beijos...

Wilson Torres Nanini disse...

Poesia total! Sempre gostei dessa imagem, de estrelas, luas refletidas em poças dágua. Pois, suscita a chegada de um cão que bebe a água ou de um pé impassível que estilhaça a (estela, lua) imagem.

Abraços!

Renata de Aragão Lopes disse...

"estrelas descansam nas poças das ruas"
... imagem bonita...

beijo,
doce de lira