13 de set de 2012



Reinvento palavras
bordo letras em carmim
sopro verbos quentes
tudo em vão...


a poesia não mora em ti
sequer a visita...

4 comentários:

LauraAlberto disse...

quem não a [poesia] sabe ler sofre de cegueira

beijo

Sônia Brandão disse...

Semeamos e cuidamos das palavras,mas muitas vezes elas vão morrer em terra árida.

bjs

NDORETTO disse...

Mara, você escreve lindo,sempre!

Larissa Bello disse...

A poesia nunca é carente de pessoas, mas há pessoas que são carente de poesia.

Bjos!