8 de mai de 2010

Mostarda


Estou me tomando
casas e lagos
saboreando afagos na comida benta do dia.

Mexendo com alimentos
O cheiro melhor
que sentimentos
por hora,
sacos dobrados.







Neusa Doretto

12 comentários:

Mai disse...

Delícia de poema - sabores da língua.

Flá Perez (BláBlá) disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Flá Perez (BláBlá) disse...

WELCOME BACK!
é isso, nenhuma pimenta é tão ardida que a vida não seja mais. ainda assim a gente aguenta e até gosta!
e a mostarda, mas não falha!

tudo se reveste de sabor novo agora.
curta!

sidnei olívio disse...

Saudade de ler seus poemas. Bom q vc está de volta. Beijo.

A Moni. disse...

Que poema saboroso!
Nem tudo é doce, é claro, mas nem por isso deve deixar de ser apreciado...

Bom revê-la, Neusa!!!

Fagulhas do Divino no humano disse...

Adorei seu blog bjususu ...da vontade de comer as palavras srsrsrsrrs

Elcio disse...

Certa vez num desses programas de culinaria ouvi Clodovil dizer algo mais ou menos assim:
"Qdo vc faz c carinho, a comida recebe esse carinho e fica impregnada c o seu jeito..."
Era algo bem proximo a isso.
Vale o mesmo p qdo estamos putos da vida e vamos aas panelas...rss

Legal passar por aqui.

Mara faturi disse...

Cheiro bom, vida e sabor vertem de seus poemas; Bom demais é poder saborear seu retorno; Minha saudade transbordando...Aja panelas, rsrs,
Adoro vc minha sister;)
Grande bjo!

*Vc viu?? Não deixamos "a peteca" cair ;)

NDORETTO disse...

EU ESTOU MUITO FELIZ TAMBEM EM PODER RETORNAR para vocês, parceiros queridos de blog e gratos desconhecidos,leitores do Curta-Metragem!

Abraços desdobrados

Neusa Doretto

Marcia Carneiro disse...

Ô saudade !!!! Agora sim o gosto, a mistura da saudade, do envio de energia, a mágica força que a vida ensina, a mestria de carregar as coisas que evidenciam peso e leveza... Amada,ótima volta ! Poemas,amor e alegrias te repousarão essa alma linda que tens !! Beijão !!

Mara faturi disse...

SALVE JORGE...SALVE NEUSA...AVE SISTER;)
LEMBRA??!!
ALEGRIA E POESIA,
BJOS!!

Priscila Lopes disse...

Adorei, Nelsa! Delicia de poema.