8 de jul de 2010


Sinto que vibro e canto mais.
Aprendi a ser bambú no meio dos temporais.

12 comentários:

Lídia Borges disse...

É a capacidade de adaptação ao meio, o que está em causa.

L.B.

Mara faturi disse...

Aprender assim...é a mais bela das sinfonias;)
Lindo Queridona,
saudades!
Bjo grande!

NDORETTO disse...

O sofrimento dignifica a alma ou se não me mata me fortalece!!! Lindo seu poemínimo!!!!

beijos,
Neusa

nydia bonetti disse...

também ando nesta fase bambú... lindo, márcia.

Sylvia Araujo disse...

É bonita demais a música que vem dele. E em temporais é quase grito - de libertação.

Lindo.

Beijoca, Márcia

Moni. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Moni. disse...

E
lás
ti
co!

Assim pede a natureza!
Linda melodia!

Por que você faz poema? disse...

Bela e reflexiva construção.

A.S. disse...

Marcia...

Oa monges orientais dizem que o bambu tem vida própria...

BeijO
AL

Flá Perez (BláBlá) disse...

QUE BONITO!!!!
BJBJBJ

Marcia Carneiro disse...

Agradeço de alma e vento... em todos os cantinhos, e lugares escondidos, e escancarados dessas janelas que se abriram pra ler... Beijo !

silvio disse...

Continuo tê lendo tu és a minha poesia...

bjos