9 de abr de 2011

meia estação

imagem via tumblr - worldofvieta 

outono
tem seu ônus
e bônus

peco 
porque perco 
o viço

lucro
com novo
vício
:
visto a vida
com  outros
 p[l]anos


valéria tarelho

"O tempo corre, a gente vai descobrindo jeitos de se proteger."
(Caio Fernando Abreu)

11 comentários:

Lídia Borges disse...

Outros planos...

A lucidez própria de quem sabe dos reajustamentos exigidos pela vida, aqui e ali.

Um beijo

NDORETTO disse...

Eu gosto muitíssimo do que você escreve,Tarelho.
O quadro da sua poesia fica bem em qualquer ângulo.

Meu abraço,
Doretto

Celso Mendes disse...

Belo poema, bela arrumação de palavras. Gostei muito...

Marcia Carneiro disse...

Esse poema é uma estação mesmo. Outono é uma estação cheia de anjos. Amo teus poemas !

Anônimo disse...

a poesia segue sempre se renovando na tua escrita.

H

Renata de Aragão Lopes disse...

Excelente!

Flá Perez (BláBlá) disse...

Voltaste! Viva!!!

bjbjbj

Nielson Alves disse...

EU pensei que estava na estação errada.
Obrigado pelo poema, muito lindo!

Mara faturi disse...

E nós lucramos com tua poesia Val;))
Grande bjo!

valéria tarelho disse...

Pessoas, obrigada!

Aos "cúmplices" do blog, de fiquei um tempo ausente da virtualidade [no verão eu hiberno ;)], ainda nem me atualizei nas leituras do curta-metragem, mas estou certa de que aprontaram poucas e boas por aqui, na dose certa.

Beijinhos!!!

Rosangela disse...

Valéria, sua poesia é sempre muito bela.
"lucro
com novo
vício
...
visto a vida
com outros
p[l]anos"
Me dá a sensação de reinvenção e também a sensação de algo que tem que ser sufocado para o bem estar. Este processo dói, porém é como vc disse, lucrativo. Mas acima de tudo é possível!
Bjs poéticos!