9 de mai de 2011

narrativa curta


ficou de quatro na cama. mas não recuperou a aliança que perdera. 

ítalo.

7 comentários:

Renata de Aragão Lopes disse...

Excelente!

Beijo,
Doce de Lira

NDORETTO disse...

Muito bom!!!!! Ótimo!!!
Poesia cômica/trágica!!!
rsrsr....

Abraços
Neusa

NDORETTO disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Letícia Palmeira disse...

Gente,

Vou me atrever a fazer algo que não faço: Poesia. Já li a respeito do gênero. Leio livros de poetas e não sei andar por esse meio. Mas vou tentar. Farei um artesanato básico.

E a aliança perdida brinca entre cartas esquecidas. =)

Flá Perez (BláBlá) disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Flá Perez (BláBlá) disse...

adorei esse duplo sentido, essa coisa escondida...ri demais...excelente!!!!

bjbjbjbj

Mara faturi disse...

Menino...
E eu perdi o fôlego com este poema!!
Muitoooooooooo bom;))
AMOREI!!!!
Bjos*