9 de ago de 2011

A mai(s)


O sêmem, as outras,
a falta de tato, os destratos:
há coisas que a gente só engole no amor.

Mas depois que tudo isso passar,
nem pergunte porque a gente cospe,
me faça o favor!

8 comentários:

Eder Asa disse...

Muito, muito bom!

RICARDO disse...

Genial!

ingridmartins disse...

Interessante!

Moni Saraiva disse...

Sen-sa-cio-nal!!!

Impecável, Flá!

Beijos!

NDORETTO disse...

Desaponto do amor.
Poema do mal estar.Náusea e sátira.

BRAVOS, flavinha!

Flá Perez (BláBlá) disse...

isso! bjbjbjbj pessoal!

NDORETTO disse...

Campanha para o Comentário:


" Comente o que leu
Valeu, faz de conta que é seu"

Beijo\O/
Curta-Metragem

chris ritchie disse...

É, só às vezes o amor tem gosto bom.
Gostei do seu poema: forte, amargo mas elegante! Difícil conseguir este equilíbrio. Parabéns!