6 de jul de 2012

CAMINHANDO EM SÃO PAULO


Com pequenos passos trêmulos
Em saltos muito altos
Para ancas tão amplas,
Elas se arriscam sem recompensa
Pelas calçadas despedaçadas
E eu perco a esperança de saber
Se são as moças que não caem

          por enquanto

Ou se as fissuras no concreto
É que têm esse poder.


2 comentários:

Dilmar Gomes disse...

Bonito poema, Chris.
Tenhas um lindo fim de semana.

NDORETTO disse...

Muito bom!!!!!!!