2 de out de 2010

língua de trapo


o ponto fraco:
falta-me pinto
mas tenho peito
e não me oprimo

tive partos,
gesto pactos
lavo pratos,
o que vier eu topo
ma non troppo

levo pito,
represo o pranto
despisto
sempre pronta,
disposta
toda prosa

o ponto forte
eu já te conto
está na ponta
- da língua

.

14 comentários:

sidnei olivio disse...

Dispensa comentários... na ponta da língua. Belíssimo. Beijo.

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

ponta.da língua... :D afiada, precisa, necessária... ;)

Í.ta** disse...

é o "p".

achei genial.
super bem construído.

Lídia Borges disse...

Um trava-línguas desafiador...

Parabéns!

Mara faturi disse...

"Na ponta da língua"??!!! Olha só,nossa poesia entrelaçanndo línguas!! ADOREI!!!!
* Que bom ter vc por aqui lindona!!!
Bjos

Renata de Aragão Lopes disse...

Maria Paula, sou sua fã! : )

Satisfação imensa
estarmos juntas
em Maria Clara!

Beijo,
Doce de Lira

Rodrigo Braga disse...

Hoje sentei para ler de fronte ao micro e me deparei com esse poema. Foi a coisa meis bonita e bem tramada que li nos últimos dias.

Feliz com a beleza desses versos.

Aline Patrícia disse...

Compasso marcado. A língua, sempre ela, seja no roçar material ou no roçado no qual se trabalha a boa literatura..

Abraços

NDORETTO disse...

Salve,doutora!

( Prazer em revê-la aqui. Esta língua, o que pode, o que pode esta língua!)

A Poesia valente de sempre; gosto muito!


Neusa

Renato de Mattos Motta disse...

não tens
pinto?
pra que
precisa
se tens
lígua tão
precisa?

Denison Mendes disse...

já eu, pinto. teu peito prato cheio, cheiando lua e flor. cheiro da manhã, versos que repito, estrelas de aldebarã.
beijo

Moni. disse...

Perfeito!

É um saber-se infinitamente maior que um se deixar julgar... Lindo e poderoso!

Parabéns!

Beijos!

Anônimo disse...

Sempre precisa. Bom demais te ler!

Henrique

Marcia Carneiro disse...

Báh. Nem sei o que dizer... bom demais te ler. Gosto desse apoderamento que precisamos sentir quando os olhos permitem. Precisa. Certeira. Imensa. Parabéns !!!!!!