27 de out de 2010

vislumbre

o vitrô
enferrujado


que não se abre
nem se fecha


permite olhar
pela fresta


o horizonte bi-
partido


pela árvore
provinda

da própria
muda


:


o futuro está
onde a vista alcança.

12 comentários:

NDORETTO disse...

Adorei isso: o futuro está onde a vida alcança. Essas coisas.vidraças e frestas nos levam pra longe!

Bj
Neusa

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

as imagens criadas são maravilhosas, espetacurlamente maravilhosas en nos permite olhar pela fresta

Mai disse...

Quisera houvesse no horizonte, apenas o encontro de azuis e a natureza infinita.
Mas na gestalt, a imagem é uma cruz...

Haja poesia!

grande abraço

NDORETTO disse...

Gostei dos versos aliados....na Casa da tribo......Meu OVOGRITO está juntinho ao seu...rsrsrsr......essas feras da internet, viu, vou te falar.....kkkkk

abração
Neusa

Moni. disse...

Um primor de poema!

Adoro versos que conferem poder ao ser:
"o futuro está onde a vista alcança"

Belíssimo traçado no horizonte poeético, Sidnei!

Beijo grande,querido!

Moni

Í.ta** disse...

que final excelente, cara!

um poema que vem do que é fresta. de onde pouco se vê. mas é ali que algo se encontra.

amei!

grande abraço!

Guilherme Sakuma disse...

Bela sacada.

nydia bonetti disse...

E eu, com estes meus olhos míopes, o que é que eu faço...? Fecho os olhos e vou ainda mais longe - através da fresta do meu coração bi-partido.:) Lindo, Sidnei. Beijo.

Priscila Lopes disse...

um dos teus melhores que li, Silvio, adoro.

Lídia Borges disse...

"O futuro está onde a vista alçança"
A fresta é estreita "não se abre nem se fecha"

Difícil alongar o olhar...

L.B.

sidnei olivio disse...

Agradeço a todos pelos comentários, muito gentis. Neusa e eu, lado a lado, na casa da tribo... tragam meus sais!!! rsss Beijos.

Renata de Aragão Lopes disse...

Sidnei,
que poema particularmente bonito!

"O futuro está
onde a vista alcança"
e a mão se arrisca...

Um abraço,
Doce de Lira