13 de nov de 2010

Disforme


Visto a loucura com palavras lapidadas,

eu sei,
sou híbrida, mezzo-sicrana,
talvez
filha bastarda de Ana Cesar com Quintana,
lápis-lazuli pichado com spray.

10 comentários:

Leonardo B. disse...

[camuflagem, disfarce, disforme forma abrupta desmedido momento, tudo em nós, toda a parte]

um imenso abraço, Flá

Leonardo B.

Í.ta** disse...

adorei isso.

sou filho bastardo de quem,
cá estou agora a pensar :)

beijos!

Flá Perez (BláBlá) disse...

valeu pessoal!
muitos beijoooss!

NDORETTO disse...

A tragicidade da poesia com a vida!

Bjs,Neusa

valeria soares disse...

Adorei tudo por aqui! Lindos versos.

Mara faturi disse...

Querida,

que "genética boa" hein??? ehehehe;)
ADOREI!
Bjão

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

também desejaria ser filho bastardo desses dois mas nasci das entranhas sujas de augusto dos anjos

Marcia Carneiro disse...

"Pai e mãe. Ouro de mina". Então... Parabéns!! Muito lindo isso !

Biity disse...

Amei esse blog *-*
Seguindo :D
Beijos!

Flá Perez (BláBlá) disse...

obrigada pessoal!
estava meio afastada, mas hoje vou comentar os poemas

bjbjbj