13 de jan de 2012

BRUTAL

Com tua herança moral,
Que fazes enquanto o amor
Constrói uma realidade
Que não podes chamar de tua?

Lava a cara, descobre-te outra,
Sê quem tiver que for
Ou mata-te a pauladas
Entre os cães no meio da rua.

2 comentários:

Dilmar Gomes disse...

muito bom, Chris.
Tenhas um bom fim de semana.

Mara faturi disse...

Pahhhhhhh!!! Poema de tirar o folêgo!!!!
Gostei imenso!!
Grande bjo!