1 de abr de 2013

ora pílulas



se o poeta
finge dor
o poema
forja
uma fuga
da morfina

metáfora rima
& heterônimas
aspirinas

o poeta
- pessoa -
tanto mente
quanto sente


valéria tarelho


*imagem de Bruno Rodrigues

3 comentários:

NDORETTO disse...



Olha ela e o poema dela!!!
Bem Tarelho!!!! Adoro!

Abraçosçosços))))))) :)

chris ritchie disse...

Heterônimas aspirinas!
Bem bolado!
xx

Mara faturi disse...

Este poema é a "cura";)) ADOREI!!!!!
grande Bjo:)