1 de fev de 2013

DIA PODRE



Quando tudo dá errado,
arrebentam-se no soalho
como pratos vagabundos
nome, data e o combinado.
Quando tudo dá errado,
o alvoroço da expectativa
sola feio no micro-ondas
feito receita de bolo antiga.
Quando tudo dá errado,
o concerto se despedaça
no barco de papel preso
à boca de lobo entupida
e vamos bueiro abaixo
com nota maledicente:
si, lá, dó, ré, mi sustenido.
Quando tudo dá errado,
Aquele crápula eleito
presidente do senado
fala sobre ética e vomito
de vergonha dessa gente.

5 comentários:

Camila disse...

Quando tudo dá errado eu sento e choro, só.

Raquel Consorte disse...

Essa foto me lembrou "O lixo extraordinário" lindo poema.

NDORETTO disse...

Essa democracia É o AI5 de tamanco e brinco. Poemaço!

Mara faturi disse...

Quando tudo da errado Chris, teu poema dá MUITOOOOOOO CERTO!! Concordo com a neuzoca- POEMAÇO!!!

chris ritchie disse...

Obrigada, meninas!

Foi mesmo um dia ruim... Mas o apoio aqui dos seus cometários faz valer!

bjs
Chris