1 de ago de 2012

Mares dantes nunca navegados


Na justa medida dos meus dedos
Preguinhos perfuram delicadamente os desejos;
que eu com o ouvido atento
invento um barquinho e uma âncora em ti

solta a me levar

2 comentários:

Mulher Vã disse...

Tão meigo, apesar [ou por causa] dos preguinhos!

Beijo

Larissa Bello disse...

Nossa, adorei! Sutil, delicado e lindo!

Bjos