6 de dez de 2011

Loba


A floresta é a minha capa,
é lá onde eu corro no escuro

e como
quem passa

o Lenhador me devassa,
se entrega,
se expõe aos perigos
pra ver se aos poucos

me acha.

2 comentários:

NDORETTO disse...

Sutileza e perspicácia,amiguinha, marcam a sua poesia. Lindão o poema!!!

sidnei olivio disse...

A Neusa tem razão, essa é uma marca de seus poemas. Lindo.