16 de fev de 2012

Crime Passional















Amarraram o amor numa tábua
E mataram à paulada a noite estrelada
E a felicidade morria sem dizer nada.
Depois
ainda rasgaram todo o corpo do sonho.
Foi um crime.
Um crime medonho.


Neusa Doretto

3 comentários:

Mariela Mei disse...

Show de palavras! Adoro!

Mara faturi disse...

Aiiii sister!! poema bom pra c... um "crime" perfeito;))
Bjos tantos!!!!

chris ritchie disse...

Neusa, que medo dessa mulher aí piscando! É a assassina?
Seu poema me lembrou um do Edwin Morgan, sobre um crime. Vou traduzir e mandar pra vc.
xxChris