27 de fev de 2012

drama gramatical

quem é você afinal?

pronome de tratamento
íntimo pensamento
de semântica ainda presa
na terra portuguesa
a vossa mercê (original)

você é pura-mente
temporal e familiar
mas às vezes pessoal

(tu é segunda pessoa
coisa bem mais singular)

não você não é um morfema
uma figura sem nexo/informal

(nem é um simples fonema)

você é o meu poema
objeto do desejo
partícula final

3 comentários:

Mara faturi disse...

Muito bom Sid!!!
Fogo no verbo;)
Bjo

NDORETTO disse...

Adoreiiiiiiiiiiiiii!!!!!!

Muito bom!!!!!!!
Muito!

Larissa Bello disse...

Genial! Um verdadeiro poema metalinguístico.