13 de fev de 2012

intuição



rosa não
nem pássaro
mas ousei jardins
alcei voos
sua não
mas sei
seu rocio
e céu


valéria tarelho

* poema “provocado” após leitura deste abaixo, de Emily Dickinson

No Rose, yet felt myself a’bloom,
No Bird – yet rode in Ether -

*ilustração de Penelope Dullaghan


5 comentários:

Dilmar Gomes disse...

Bonito poema, Valéria, aliás, como sempre.
Um abração. Tenhas uma linda semana.

NDORETTO disse...

Tarelho no meio fio.
Da poesia inteira.


Lindo,sempre.

Leonardo B. disse...

[é a palavra,

a mais perfeita nuvem que acolhe esse voo!]

um imenso abraço, Valéria

Leonardo B.

Mariela Mei disse...

Lindo, lindo!
Parabéns, Valéria!

Mara faturi disse...

Pahh!! o que dizer??!! Qdo se "poama" pela poesia da Emily, o voo só pode ser perfeito!!!
bjo