23 de fev de 2012



Hoje estou um tanto

cactus

pedra de rio

e por mais que a água

bata e insista

hoje o musgo não vira poesia...

9 comentários:

Dilmar Gomes disse...

Mesmo assim, poetaste, amiga!
Um abração.

NDORETTO disse...

O
Poema
de fibra.
Pedra que ninguém tira do lugar.

Hoje.

NDORETTO disse...

Perfeito.
Gostei um tanto assim_________________________________________________________________________________________________!!!\O/

Mara faturi disse...

Amada sister, hj ( op´s ontem) minha poesia tava um tanto "árida", ou será que teria sido o dia??!!! bem...o importante é tirar poesia até da aridez dos dias;))
Grande bjo!!!

chris ritchie disse...

O espinho e a pedra já fizeram canção, hoje fizeram poesia!
xxChris

Cristina DeSouza disse...

E dos cactos podem sair flores lindas, eu bem o sei, moro num deserto :))
Sua flor de cacto (cactus) é linda!

Beijo!

Larissa Bello disse...

E já virou! Esse é o exercício mais sublime da vida. Saber ver poesia também nos momentos ruins.

Bjo

Sônia Brandão disse...

Há dureza, há secura. Que importa? A poesia fala mais alto.

bjs

NDORETTO disse...

Relendo.....bom demais da conta!