14 de mar de 2012

Noturno

Meus dedos tocam essas teclas mas queriam tocar seus poros e salivação.   
Os meus braços vão e vem nesse movimento  da escrita que age como desejo que escorre no som consecutivo do teclado ( parecido com gotas pingando ).  
Preciso ouvir alguma coisa mais forte que   me ordene como todas as mulheres foram ordenadas a amar sem reservas e sem limites. Porque eu  desaprendi.  A solidão me fez dona de uma liberdade voraz, que me engole e me deixa faminta .  
Outras vezes a mesma liberdade vem louca e feliz tocando uma musica  que eu danço para mim. Eu preciso da sua ousadia me dizendo coisas indecentes. Eu preciso estalar um chicote e sentir que é agora.

Um comentário:

chris ritchie disse...

é uma lição com cola!!
adorei a foto, adorei lembrar o que a liberdade promove intimamente. (não, eu NUNCA colei!)
Obrigada!
xxChris