10 de nov de 2011

metade não dá

abri mão do mundo
por mim mesmo.

(juntava e afastava os dedos
da mão direita -
a que escreve e a que vira páginas -

e dali fui me despindo
de tudo o que estava
em mim
e não me pertencia
- pelo menos não neste momento).

sê inteiro
para ser do outro.

melhor ainda:
para ser com o outro.

ítalo.

3 comentários:

NDORETTO disse...

Melhor ser da gente mesmo.
E fazer companhia a outras pessoas. Acompanhar-se.
A entrega cega é do apaixonado. Aí 'tá valendo.

Beijo,lindo!

Leonardo B. disse...

[despojo de metade, o todo, a parte, a vida inteira,

partilhada por e na palavra]

um imenso abraço,

Leonardo B.

Letícia Palmeira disse...

Perfeito.



sê inteiro
para ser do outro.

melhor ainda:
para ser com o outro.



Há poemas que circulam demais em metáforas para dizer o que não se sabe dizer. O seu foi direto. Um atalho que percorro.