14 de nov de 2011

ceia láctea



sugar estrelas
nos mamilos
da galáxia

e a seguir
comê-la
:
anseio


valéria tarelho

4 comentários:

NDORETTO disse...

Se possível
virar
uma, né?.....

Uma estrelinha de poema.....

Bonito!

valéria tarelho disse...

como a Via Láctea: passou perto, eu traço! ;)

o poema surgiu da leitura deste artigo e dei a ele outras conotações:

CANIBALISMO CÓSMICO- Via-Láctea devora galáxias e estrelas que cruzam o seu céu

beijo!

Anônimo disse...

Ora direis, comer estrelas? De tanto, a Val virou constelação poética. Beijos estelares.
Sidnei

Mara faturi disse...

Uiiiiiiiiiii, que deleite de poema; adoreiiiiiiiiiiii*)
Bjos queri*