27 de out de 2011

outro lugar

Por fim, Francisco,
Se és malandro,
Inevitável fato
Está aceito o risco
Do teu amor barato

Pras meias verdades,
Fique à vontade
Só não perca o ritmo,
Por favor
Pois meu samba é de um grande amor.

Moni Saraiva

2 comentários:

NDORETTO disse...

Ora pois, estamos poetando com samba?!

(Desconfiava mesmo que você estivesse metida com música!...eheheh)

Agradável de ler a sua nova poesia. Mudou o estilo completamente, mas está valendo!

\O/ beijo

Alê Xavier disse...

Gostosa, né?
Não a poesia, falo da Moni mesmo.

Ah, o poema também ficou uma delícia...

=*